Notícias

Webinar apresentou oportunidades do mercado chinês para calçados

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), no âmbito do Brazilian Footwear, promoveram, no último dia 16 de julho, um webinar para apresentação do Estudo do Mercado Chinês de Calçados. Realizado pela Apex-Brasil, o estudo destacou as oportunidades do mercado chinês de calçados. 

Considerado o maior mercado consumidor de calçados do planeta, a China movimenta mais de US$ 62 bilhões em vendas somente no setor, com um crescimento anual estimado em mais de 3% nos últimos anos. O analista da Gerência de Inteligência de Mercado da Apex-Brasil, Pedro Netto, ressaltou que em 2018 a China importou o equivalente a mais de US$ 4 bilhões em calçados, a maior parte dos países vizinhos Vietnã e Indonésia, além da Itália, de onde entraram calçados de maior valor agregado. Segundo ele, existe um espaço intermediário para o calçado brasileiro, entre os mais baratos, fornecidos pelos países asiáticos, e os de valor mais elevado, da Europa. 

Netto destacou, ainda, o crescimento da modalidade de compra via e-commerce, que já representa quase 35% do total de vendas de calçados na China. Em termos de segmentação, o analista ressaltou o crescimento do Infantil, de cerca de 8% nos últimos anos. “Neste segmento, especificamente, existe um espaço de entrada importante, pois na China as grandes marcas não produzem calçados específicos para esse público. São versões reduzidas do calçado adulto”, disse, acrescentando que neste segmento as preferências dos chineses são por produtos que tragam segurança e conforto aos pequenos. 

Pós-Covid 19
Priscila Linck, coordenadora de Inteligência de Mercado da Abicalçados que participou da apresentação, destacou que a China apresentou retomada econômica mais rápida diante a crise da Covid-19, tanto que deve crescer 1% em 2020 enquanto o PIB mundial deve registrar queda. 

Segundo ela, o impacto nas importações de calçados brasileiros se deu apenas em janeiro, quando caíram 46%, em volume. No meses subsequentes houve incremento, fazendo com que as importações de calçados verde-amarelos crescessem 117% no acumulado do semestre, alcançando mais de 1 milhão de pares. “A China crescerá menos em 2020, mas em 2021 deve crescer mais de 8%, inclusive mais do que vinha crescendo na média dos últimos anos”, projetou Priscila. 

O estudo completo pode ser baixado, gratuitamente, no link http://www.apexbrasil.com.br/inteligenciamercado/login?EstudoId=1282